O Que é Alimentação Funcional?

0
Alimentação Funcional
Alimentação Funcional

Ter uma boa saúde passa, diretamente, por tudo aquilo que colocamos à mesa. Escolher cuidadosamente o que comemos em todas as refeições é fundamental. Por isso, é importante saber o que é alimentação funcional.

Conhecidos por sua contribuição à saúde e por permitir que muitos problemas de saúde sejam minimizados, os alimentos funcionais são capazes de diminuir a necessidade da ingestão de remédios, embora não possam ser considerados medicamentos.

Para que este programa entregue os resultados esperados, aliás, é preciso muita disciplina e ajuda de um profissional capacitado para a elaboração do cardápio adequado às suas necessidades.

Pensando nisso, e nas muitas dúvidas que o tema pode despertar, elaboramos um material detalhando o que é alimentação funcional e como ela pode ajudar a minimizar episódios de doenças crônicas.

O Que é Alimentação Funcional

Para entender sobre a alimentação funcional é preciso, antes de tudo, compreender o que são estes alimentos considerados milagrosos e quais os efeitos que seu consumo traz ao organismo.

Alimentos funcionais são aqueles que, quando ingeridos, produzem efeitos metabólicos ou fisiológicos benéficos à saúde, indo muito além de suas funções nutricionais básicas.

Estes alimentos são considerados ainda capazes de diminuir o risco de algumas doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, colesterol e minimizar a probabilidade de incidentes graves, como ataques cardíacos ou um acidente vascular cerebral.

Quais os Principais Componentes da Alimentação Funcional

Ao pesquisar sobre alimentação funcional nos deparamos com inúmeros produtos que recebem esta classificação. Embora muitos acreditem que todo alimento considerado saudável seja funcional, existem alguns que são os mais importantes. Confira:

Isoflavonas

Presentes na soja ajudam a aliviar os sintomas da menopausa, graças à sua ação estrogênica. Previnem o câncer e reduzem os níveis de colesterol no sangue.

Flavonoides

Presentes em frutas cítricas, soja, tomate, pimentão, alcachofra e cereja, tem ação anticancerígena, vasodilatadora, anti-inflamatória e antioxidante.

Ácidos Graxos ômega 3

Encontrados em peixes de águas frias, estimulam o sistema imunológico, tem ação anti-inflamatória e são muito importantes para o desenvolvimento do cérebro.

Fibras Solúveis e Insolúveis

Encontradas em cereais integrais (aveia, centeio e cevada, dentre outros), leguminosas (soja, feijão e ervilha), hortaliças com talos e frutas com casca, reduzem o risco de câncer de cólon e melhoram o funcionamento intestinal.

Quando consumidas em boa quantidade, as fibras solúveis ajudam a controlar a glicemia e no tratamento da obesidade, pois promovem a saciedade por mais tempo.

Ácido a-linoléico

Abundante no óleo de linhaça, colza, soja e nozes, ajudam a fortalecer o sistema imunológico e diminuem inflações, graças à sua ação anti-inflamatória.

Linhaça
Linhaça

Catequinas

Encontradas no chá verde, cerejas, amoras, vinho tinto, framboesas, mirtilo e uva roxa, diminuem as chances do aparecimento de determinados tipos de câncer, reduzem o colesterol e estimulam o bom funcionamento do sistema imunológico.

Prebióticos

Retirados de vegetais como a raiz de chicória e a batata yacon, ativam a flora intestinal, garantindo assim o bom funcionamento do intestino.

Licopeno

Presente no tomate e em seus derivados, na goiaba vermelha, no pimentão vermelho e na melancia, o licopeno é um poderoso antioxidante, capaz ainda de reduzir o nível de colesterol e reduzir o risco de aparecimento de certos tipos de câncer, como o de próstata.

Tanino

Presente na maçã, sorgo, manjericão, manjerona, sálvia, uva, caju e soja, o tanino tem ação antioxidante, antisséptico e age como vaso constritor.

Probióticos

Presentes em leites fermentados, iogurtes e outros alimentos lácteos fermentados, os probióticos facilitam as funções gastrointestinais, diminuindo a incidência de constipação intestinal (também conhecida como prisão de ventre) e o risco de desenvolvimento de câncer de cólon.

Quais os Cuidados ao Adotar uma Alimentação Funcional

Entender o que é alimentação funcional não é garantia de uma saúde perfeita. Para isso, é preciso tomar alguns cuidados ao elaborar um cardápio com este tipo de alimentos.

Inicialmente, é preciso construir uma dieta equilibrada, substituindo alimentos processados e prejudiciais à saúde por produtos saudáveis e com comprovado benefício ao organismo.

Em seguida, a recomendação é de que você procure um profissional de nutrição, para que juntos elaborem uma dieta diária com tudo o que é necessário para aproveitar todos os benefícios oferecidos pelos alimentos funcionais.

A última recomendação importante ao adotar a alimentação funcional como filosofia é dosar a ingestão de cada grupo de alimentos, evitando que seu organismo sofra com a sobrecarga ou a carência de um determinado nutriente.

Como Montar um Bom Cardápio Funcional

Para garantir que você finalmente compreendeu o que é alimentação funcional, experimente montar um cardápio diário com estes produtos. Note que, em todas as refeições, é importante que existam alimentos funcionais.

Embora sejam capazes de melhorar a saúde e evitar a ocorrência de doenças crônicas, essas capacidades são serão percebidas se forem consumidos diariamente.

Caso sinta dificuldades em adotar uma dieta 100% funcional, comece aos poucos, substituindo alimentos gordurosos por itens mais saudáveis. Uma boa a saída é a granola caseira, que pode ser adicionada a iogurtes, frutas ou leite (comum ou de soja).

Com todos estes cuidados e a completa assimilação de o que é alimentação funcional, você pode aproveitar todos os benefícios deste tipo de dieta.

Gostou? Compartilhe com os amigos e não se esqueça de comentar ai embaixo o que achou.